Tornar meus dias suportáveis…

Mal acordou e lá permaneciam as tais lágrimas que a embalaram na noite anterior, brotam sem razão aparente e logo um pensamento me toma o momento “Por que sofrer tanto Alice?

Bem, agora ela esta sentada em sua confortável poltrona tomando seu café bem quente. Seu coração apertado, seu ar desesperado e seus pensamentos angustiantes são perturbadoramente visíveis. Não é preciso ser um expert para notar que ela esta completamente perdida. Após um longo silêncio ela murmura:

Se eu pudesse, desejaria que as noites fossem as mais longas possíveis!

Sabem? Em vão tentei por inúmeras vezes adverti-la. O que mais me angustia é que na vida pessoal e profissional ela é muito prática, básica e objetiva, mas quando o assunto é seu próprio coração, ela se perde e sempre chega ao fundo do poço. Sim, eu sei que ela esta cansada de estar sozinha, mas era mesmo necessário conversar com desconhecidos espalhados pelo Mundo? Aquilo lhe era muito tentador, não parecia algo complicado e muito menos arriscado, até porque eu sei que correr riscos era o que menos queria. Eu tentei avisá-la de que era muito perigoso, que depois da dor do amor, a dor psicológica era devastadora… Mas sem parecer se importar ela me respondeu:

Me deixe! Não suporto não sentir nada!

Pobre Alice” — pensei.

Tudo começou quando realmente sentiu o peso da ausência. Conversou com muitas pessoas, cada um buscava algo diferente, mas nada era como ela queria. E assim percorreu por dias até que por fim desistiu… Pegou seu caderno e tentou em vão esvaziar a mente. Alice é prisioneira de seus angustiantes pensamentos e não tem direito à condicional, mesmo tendo bom comportamento.

“Afinal Alice! O que você tanto quer?” — segurei em seus ombros e a sacudi!

Preciso sentir algo… estou vazia…

E pude notar aquelas lágrimas brotando novamente…

(CC BY-NC-ND 4.0)

5

Share: