P O N T O  F I N A L — Hoje é dia de desatar os nós e por o ponto final naquilo que levar reticências. Nos dois últimos dias consegui dormir depois de tanto chorar. Era um choro de lamento, de tristeza, de muita saudade e não de desespero e de uma certa maneira me trouxe alivio, paz e não noites afundadas em dúvidas, estas que provavelmente tirariam meu sono.

Essa noite, por incrível que pareça e por mais fria que estivesse, eu dormi muito bem. Literalmente dormi em sono profundo e com o coração bem quentinho. Tinham exatas 8 noites que eu não dormia direito, mas não desta vez.

Sempre pensei que por o ponto final em alguma coisa seria radical demais. Imaginava que ela viria acompanhada de uma dor insuportável, daquelas de querer arrancar da alma a qualquer custo. Via o ponto final como um sinal de fraqueza e falta de determinação. Pensava que por as reticências nessas situações seria a melhor coisa a se fazer, afinal o que é um coração sem sentir absolutamente nada?

Triste engano meu pensar que a dor do ponto final seria uma facada mortal ou uma dor que não teria fim, a vantagem é que você sabe que chegou ao fim. Pronto e acabou! E definitivamente, ela não é nada comparada a dor das reticências.

As reticências tem um papel importante na literatura, transmite através da escrita um suspense, um suspiro profundo e a certeza de que após aquele breve momento terá uma continuação, porém infelizmente não podemos ter esta pausa na nossa vida. Ela é conveniente apenas para aqueles que deixam para depois e se esquecem que o depois pode ser tarde demais.

A dor das reticências é igual a uma maçã podre, acaba com sua alegria e vai destruindo aos poucos suas certezas. Não dá para suspender o amor, colocá-lo no stand by e aguardar com esperança que essa indesejada interrupção seja a mais breve possível — simplesmente não dá! Isso destrói as boas lembranças, o carinho, o respeito e o que me é mais importante: a confiança.

Nenhuma dor é bem vinda!
Ninguém gosta da solidão a dois ou de se sentir incompleto.
Sério, ninguém gosta, nem você.

Enfim…

Na verdade tudo tem um ponto final. Toda refeição tem seu fim, todo filme, livro, série, amizades, amores e principalmente a vida chega ao seu fim e deixa apenas aquela lembrança, seja ela uma doce recordação ou não. Olhando para trás vejo como ainda sou imatura, insegura e não sei cuidar muito bem do meu coração, deve ser por isso que na maioria das vezes sou pura razão, mas no fim da contas sou teimosa e continuo doando somente aquilo que tenho a oferecer.

(CC BY-NC-ND 4.0)

2

Share: