sábado, novembro 16th 2019
Blog, Maternidade :

2019

Como de costume, em Janeiro determino algumas metas para o decorrer do ano e como já estamos em Novembro, decidi rever esta lista. De todas as metas, consegui cumprir apenas três.

Voltar a estudar

Este ano voltei a estudar, acredite gosto de aprender. Depois de muito pensar acabei escolhendo o Japonês (estou pensando seriamente em registrar sobre essa experiencia), por dois motivos: o primeiro é que sempre foi meu sonho ser fluente no idioma e o segundo é que meu filho também queria.

Dar mais autonomia ao meu filho

Chegamos ao ponto sobre “dar mais autonomia”. O que não foi difícil, mas também não foi tão fácil quanto aparenta ser. Falando sobre Escola, foi um ano muito desafiador, precisei dar espaço para que ele, de fato, colocasse em prática, tudo aquilo que venho ensinando ao logo dos últimos anos: responsabilidade, respeito, disciplina e autodidatismo.

Quando você ensina seu filho desde a pré alfabetização a ter uma rotina e local de estudo, no primeiro ciclo escolar (1º ao 5º ano) a como estudar, como pesquisar e como aprender e não a decorar, e principalmente despertar a curiosidade sobre tudo, tudo ficará mais natural no segundo ciclo (6º ao 9º ano), pois agora o “Aprender” será algo normal e com a evolução dos conteúdos, ele ficará cada vez mais curioso e confiante, consequentemente ele estará apto a buscar sozinho, informações complementares. Acredito também que o Kumon ajudou bastante nesta etapa da vida dele, tanto que ele já é fluente em Inglês e já realizou o exame de proficiência do TOEFL.

Sobre o Blog

Falando um pouco sobre o Blog, neste mês de Novembro completamos 3 anos registrados com domínio e hospedagem própria e 11 anos com idas e vindas na plataforma WordPress. Sei que não consegui me dedicar 100% a ele e nem cheguei perto de traduzi-lo por completo, mas todas as postagens deste ano estão traduzidas por mim e com isso acabei colocando em prática minhas traduções e recebi muitas visitas de outros países, obrigada por isso.

🍃

Admito que ser mãe em tempo integral não é uma tarefa fácil e como já compartilhei várias vezes, eu também trabalho e todas as decisões, responsabilidades educacionais, emocionais, estudantis e formação de caráter é 100% minha, não existe guarda compartilhada em quesito algum. Então os dias são corridos, extremamente intensos e por inúmeras vezes estou exausta, mas não troco nossa vida por nada no mundo!!!!

Enfim, 2019 ainda não terminou e apesar de não ter realizado tudo aquilo que eu queria, outras coisas acabaram entrando para a lista de forma natural. Desde maio eu assumi meus fios brancos, agora faço parte da comunidade #youngandgray & #cottonhair; Continuo super firme em não consumir refrigerantes e consequentemente não consumo bebidas alcoólicas; Eliminei totalmente a carne vermelha e cacau; e por fim, reduzi muito a ingestão de carne branca. Não sei se algum dia me tornarei 100% vegetariana, mas acredito que estou no caminho e estou muito orgulhosa destas conquistas pessoais.

Eu só tenho a agradecer a todos que me acompanham, tanto aqui no blog quanto no Instagram. Desejo que estes últimos momentos de 2019 reserve boas notícias para todos nós.

— com amor, Victoria.

sexta-feira, outubro 26th 2018
Maternidade :

“Simplicidade de uma criança”

Originalmente escrito em Novembro 6, 2011.

Eis que hoje meu filho me chamou para um papo sério:

– Mamãe, quero falar sério com você.
– Fala filho, diga.
– Senta ai mãe, é sério o papo.
– Ok. Sentei, agora diga.
– Mãe, você gosta do fulano? Porque eu gosto, acho uma pessoa muito bacana!
– Gosto filho, mas as coisas não são simples assim.
– E por que não?
– Porque não podemos obrigar as pessoas gostarem de nós como nós gostamos delas.
– Complicado isso mãe.
– Nossa filho nem me fala como.

Um minuto de silêncio e ai ele me diz assim:
– Mãe eu amo muito você!
– Eu amo você também.

Ai ele levanta e no quase fora do quarto vira e diz assim:
– Viu mamãe, amar você é simples assim!

Da série: Coisas dos Bazinhos!! ^.^

quarta-feira, outubro 17th 2018
Maternidade :

Leia para uma criança, isso muda o mundo!

Estou tão feliz e não poderia deixar de compartilhar com vocês, eu ia postar na última sexta (dia 12 de outubro) e infelizmente tivemos pequenos contratempos com o servidor (assunto da postagem anterior), mas agora que já está tudo bem vamos falar de coisa boa?! Principalmente para as crianças!!

Você conhece o Projeto Leia para uma Criança do Banco Itaú?
Se você não sabe o que é, vale super a pena conhecer!!
Funciona assim: anualmente (no mês de Outubro), o Banco Itaú distribui gratuitamente livros infantis para estimular os pais a lerem para seus filhos. Como sou apaixonada por livros, não poderia deixar o meu filho fora dessa e já solicitei a Coleção de 2018 e quando chegarem aqui em casa, aproveito e mostro as coleções anteriores.

Conheça os livros de 2018 e saiba como pedir

 

  • Na opção “Como soube da ação
  • Selecione “Outros
  • Aparecerá o campo “Descreva
  • Copie e cole: “Através do Blog viectoria.com

 

 

Pronto! Assim você ajuda o blog a crescer e me incentiva a compartilhar mais coisas legais por aqui! Então essa é a dica de hoje. Deixe ai nos comentários se você já conhecia esse projeto, se você tem o hábito de ler para seus filhos (ou para qualquer outra criança), se você já solicitou e se gostou (se não gostou também vale comentar!) ou até mesmo dicas de livros.

Este post não é publicidade.

segunda-feira, outubro 1st 2018
Maternidade, Minimalismo :

“Filhos X Minimalismo (É possível?)”

Tem como ser Minimalista tendo filhos?

Com o maior carinho te respondo que Sim!! É humanamente possível!! Após pensar bastante sobre isso, me veio a ideia de escrever um post sobre isso — ressalto aqui que são as minhas opiniões e a minha prática com meu filho, ok?

Antes de tudo eu acredito que minimalismo é um modo de vida, assim como existem outros modos: os consumistas, os colecionadores, os entulhadores, os desapegados, os mochileiros ou até mesmo aqueles que juntam dinheiro sem um objetivo real.

Mas vamos lá… Por que eu decidi ser minimalista? Na verdade, acho que eu já nasci assim, só não havia dado uma definição (encontrado um adjetivo ao certo). Futuramente eu conto como foi o meu despertar. Enfim… Sempre fui muito fã de ambientes cleans, arejados e de fácil organização. E apesar da minha vida cismar em ser uma novela mexicana, sempre a mantive organizada na melhor maneira possível. Nunca gostei de comprar algo apenas para ter ali na estante ou porque minhas amigas tinham, mas uma coisa é certa: não abro mão da qualidade, apenas da quantidade! — sim! sou preguiçosa e não suporto perder meu tempo situações ou coisas desnecessárias e não me dou muito bem com ambientes desorganizados (lê-se “uma verdadeira antissocial?”), mas quem tem filhos sabe que manter cada qual em seu lugar é algo muito, mas muito difícil!! — sim, mas não é algo impossível! 😉 na verdade tudo depende da sua disciplina, do seu bom senso e o mais importante — de se manter calma, ou seja, não surtar!!!

Como disse, nunca fui fã de comprar por comprar, então resolvi fazer o mesmo com o meu filho, comprar somente o necessário para cada momento da vida dele, assim eu não sofro com o acúmulo e de quebra ensino a ele ser consciente, quem tem filho pequeno sabe que perdem muitas coisas com a mesma velocidade que crescem. Confesso que no inicio foi muito complicado porque todo mundo queria dar um presente que eu no fundo sabia que daqui a alguns dias ele perderia o interesse, mas ai entrou a magia da doação! Ensinar ao meu filho que aquele brinquedo que estava pegando poeira na estante poderia fazer outra criança feliz foi muito importante e hoje em dia é muito tocante quando ele vem sugerindo que aquela roupa, aquele brinquedo ou aquele sapato poderá servir a outra criança. Essa sensibilidade não tem preço.

Menos é Mais

Quando ele escolheu ser minimalista também?
Na verdade foi bem simples. Quando ele atingiu uma certa idade e eu sabia que ele já era capaz de guardar seus brinquedos no lugar e guardar suas próprias roupas. Com o passar do tempo ele foi notando que estava perdendo muito tempo arrumando brinquedos que ele nem usava mais e deixando de fazer as coisas que mais gostava e foi então que ele percebeu que não fazia sentido manter algo que não lhe era necessário. Hoje, ele já não perde tanto tempo arrumando o quarto e cada coisa tem seu devido lugar.

Então aqui em casa funciona assim, compro apenas o necessário a ele (lê-se: Lego e Livros Cartas Pokémon e Minecraft), passamos mais tempo fazendo algo produtivo do que perdendo tempo arrumando o que não usamos mais. Não sei se ser mãe de menino deixa as coisas mais práticas, mas acredite, existem aqueles momentos em que ele me pede algo sem sentido e ai entra a magia do diálogo, não tento convencê-lo a não comprar, mas o questiono se fará algum sentido na próxima semana.

É bom questionar!
É bom explicar!
É bom dialogar!
E ai ele decide se compra ou não 😉

Como disse, o minimalismo na prática com as crianças funciona sim, mas tem que ter muita disciplina e saber conversar. Dizer: não porque é não e ponto, não é a resposta — aliás, nunca foi 🙂

Agora fica a questão, e com você? O minimalismo é algo funcional ou impraticável?